Material – Movimentos Diretas

 

Continua após a publicidade

 

Continua após a publicidade

 

Continua após a publicidade

 

Continua após a publicidade

 

Continua após a publicidade

“A esquerda brasileira não se une nem na cadeia”, ensinava uma das frases repetidas com a mesma fervorosa convicção, nos idos de 1968, tanto por inimigos quanto por partidários da ditadura militar. Capturados, não aceitavam dividiam sequer o mesmo beliche de cela os militantes do Partido Comunista Brasileiro, do Partido Comunista do Brasil, da Ação Popular, do PTB brizolista e outras tribos que haviam sobrevivido à derrocada ocorrida quatro anos antes. A coisa piorou quando a população carcerária passou a abrigar guerrilheiros engajados em siglas que só tinham em comum o sonho de derrubar a bala o inferno capitalista para substituí-lo pelo paraíso comunista. Os combatentes da ALN, do VPR, da Colina, da VAR-Palmares, do Molipo — e de tantos outros grupos armados sem densidade populacional para eleger um vereador de vilarejo — prefeririam morrer de fome a compartilhar o último prato de comida estendido pelo carcereiro.

 

Continua após a publicidade

O cortejo de manifestos ocorrido neste crepúsculo do outono foi concebido para provar que a maioria dos brasileiros fopromovido por  icomeço de junho fe nos últimos anizadores do cortejo de dsignatários dos mnO cortejo de manifestos que Outro equívoco da imprensa foi vincular as manifestações do fim de semana à formação de uma “frente ampla” contra o governo federal, que alguns jornais insistem em comparar ao movimento Diretas Já!. Para início de conversa, existem pelo menos cinco grupos mais conhecidos, que dificilmente conseguirão vencer suas divergências.

Continua após a publicidade

O “Estamos Juntos”, por exemplo, reúne celebridades como Luciano Huck, Fernando Henrique Cardoso, Caetano Veloso e Fernanda Montenegro. No “Somos Democracia” estão as torcidas organizadas de futebol. O “Basta” conta com nomes como Felipe Santa Cruz, presidente da OAB, e Pierpaolo Bottini, advogado do mensaleiro João Paulo Cunha. Idealizado pelo Economista Eduardo Moreira, o “#Somos 70 PorCento” conseguiu ficar entre os assuntos mais comentados do Twitter por uma semana. E o “Direitos Já” juntou num mesmo balaio o presidente da Câmara Rodrigo Maia (DEM-RJ) e o governador do Maranhão, Flávio Dino (PCdoB).

Como democracia parece ter limite, a maioria dos grupos informou, por exemplo, que vetaria a entrada de algumas pessoas. Sergio Moro estaria entre elas. “Entrarão todos, menos os fascistas. Moro, fora. É o limite”, disse ao Estado de S.Paulo o jornalista Juca Kfouri, um dos articuladores do “Estamos Juntos”. “Natural que exista constrangimento com a adesão de algumas pessoas”, confirmou o advogado Marco Aurélio Carvalho, do “Basta”. “Estas mesmas figuras são responsáveis diretas por parte importante das mazelas do país”.

O ex-presidente Lula, por outro lado, já avisou que ficará fora de qualquer manifesto. “Não tenho mais idade para ser maria vai com as outras”, informou a possíveis interessados em contar com a sua assinatura. “O PT já tem história neste país, já tem administração exemplar neste país. Eu, sinceramente, não tenho condições de assinar determinados documentos com determinadas pessoas”.

Mas o que mais distancia esses atos de movimentos realmente democráticos e a campanha das Diretas Já!, contudo, é a ausência das multidões. Mais do que a falta de convívio entre os contrários, o desrespeito à liberdade de ação e pensamento e a incitação à violência, foi isso o que os atos do último fim de semana deixaram evidente. Sem as multidões nas ruas não existe democracia.

Material – Movimentos Diretas foi publicado primeiro em: https://veja.abril.com.br/

Publicado por paulosouzanoticias

Sejam muito bem-vindos meus amigos! Me chamo Paulo Souza, sou bancário e estou aqui para te manter atualizado de todas as melhores notícias. Em minha profissão vejo diariamente a dificuldade em que o brasileiro tem em manter o pagamento do seu financiamento em dia. Estudos já comprovaram que as taxas bancárias hoje se tornaram a maior despesa do consumidor. Por este e outros motivos, decidi criar as minhas redes com informações de confiança para orientar como você pode se livrar desse tipo de problema da melhor forma possível. Além disto, também vou te manter por dentro de todas as notícias atualizadas de outros assuntos. Fique ligado que aqui será um dos maiores portais de notícias que você encontrará.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

Crie seu site com o WordPress.com
Comece agora
%d blogueiros gostam disto: